segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Relatos do Grão Ducado 6, o primeiro dia

Começou hoje a execução deste devaneio a que me propus. Não creio que seja entusiasmo passageiro dado que é uma ideia amadurecida, e por isso se justificou ter carregado trabalho de casa, para melhor me documentar e preparar para este propòsito. Nem que seja para ter mais poder argumentativo juntos das portas às quais vou bater. Nem que seja porque se a matéria me interessa, sabê-la, estudà-la, faz todo o sentido. Nem que seja porque certamente estarei mais sàbio, e menos ignorante quando a obra estiver terminada. Nem que seja porque existe neste projecto uma justificação acrescida para voltar ao desenho a làpis de carvão, o que não fazia hà mais de vinte anos. Hoje foi o primeiro dia dos primeiros esboços escritos e rabiscados. Muitos dias virão em que não acontecerà nada, e outros haverão de mão cheia. As disponibilidades e as vontades serão a voz de comando. Vontades que prevejo não me virão a faltar, pois como aqui ilustro são amores meus: desenho, Fado, fotografia, Lisboa...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sputnickadelas